Enem

Principais regras de conjugação verbal em espanhol

Por Redação   | 

 Tag: Enem

Qual é o seu conhecimento sobre conjugação verbal em espanhol? Você se garante no assunto?

Essa é uma pergunta importante, já que é preciso entender um pouco sobre os verbos para interpretar corretamente as questões de língua estrangeira no Enem — seja a sua escolha o inglês ou o espanhol.

O Exame, assim como alguns outros vestibulares, não traz questões puramente gramaticais relacionadas ao idioma estrangeiro escolhido, o foco maior é na interpretação de texto. Mas, para conseguir interpretá-las corretamente, você precisará ter uma boa base.

Por esse motivo, nesse resumo você vai encontrar:

As 3 conjugações verbais do espanhol
As 3 formas verbais do espanhol
Verbos regulares e irregulares
Tempos verbais e exemplos de conjugação

Nova call to action

As 3 conjugações verbais do espanhol

As regras de conjugação dos verbos em espanhol estão ligadas diretamente às terminações de cada um deles.

De acordo com as últimas letras do verbo no infinitivo, é possível classificá-los em 3 grupos diferentes:

  1. A primeira conjugação contempla os verbos terminados em -ar, como em "aceitar" — um verbo que é um falso cognato, aliás, já que não significa aceitar, mas sim passar azeite em algo;
  2. A segunda conjugação engloba os verbos terminados em -er, como em "comer";
  3. Na terceira conjugação estão os verbos terminados em -ir, como em "partir".

Os verbos regulares em espanhol que integram cada um desses grupos contam com a mesma desinência conforme o tempo e o modo verbal em que são utilizados. Falaremos com mais detalhes sobre eles adiante.

📝 Desinência é o elemento final que indica a flexão de uma palavra. Ele é essencial na concordância verbal e nominal.

Quando você aprende a conjugação de um verbo de qualquer um desses grupos, será capaz de conjugar todos os verbos do conjunto que estejam no mesmo tempo e modo verbal. Isso significa que, quanto mais estudar sobre eles, mais fácil ficará aprender as conjugações.

>>> Por onde começar a estudar para o Enem: guia completo

As 3 formas verbais do espanhol

As formas verbais em espanhol podem ser classificadas como pessoais ou não pessoais. As formas verbais pessoais são aquelas que indicam os pronomes pessoais:

  • Yo
  • Usted
  • Él/ella
  • Vosotros/vosotras
  • Nosotros/nosotras
  • Ellos/ellas
  • Ustedes

No caso das formas não pessoais, elas são denominadas dessa maneira por não apresentarem desinências de número ou de pessoa nas suas flexões. São elas:

  1. Infinitivo: expressa o significado do verbo e tem a função de substantivo verbal. Alguns exemplos são os verbos "hablar", "comer" e "venir";
  2. Particípio: funciona como adjetivo nas orações predicativas ou quando modifica um substantivo, o que faz com que passe a ter o valor de adjetivo verbal;
  3. Gerúndio: expressa uma ação anterior ou simultânea à do verbo principal. Alguns exemplos são "hablando", "comendo", "viniendo".

📝 As orações predicativas exercem a função de predicativo do sujeito da oração principal, ou seja, dão a ele uma qualidade ou característica específica.

As formas verbais do espanhol são classificadas em simples e compostas. Nesse segundo caso, são formados com:

Verbo auxiliar haber (haver, em português) conjugado + o particípio do verbo principal

Veja um exemplo:

  • He jugado com ellos (Joguei com eles).

Verbos regulares e irregulares

Em espanhol, os verbos regulares — sejam eles verbos de cambio ou não — são aqueles que seguem um mesmo modelo de conjugação que está de acordo com um tempo e modo verbal.

Eles não sofrem alterações no seu radical, ou seja, em tudo aquilo que vem antes da terminação da sua forma no infinitivo: “ar”, “er” ou “ir”.

Entre os verbos regulares, é possível listar exemplos como:

  • Amar
  • Aceptar
  • Balancear
  • Bañarse
  • Comportarse
  • Contestar
  • Decorar
  • Descobrir
  • Enganar
  • Evitar
  • Firmar
  • Ganar
  • Hablar
  • Llamar
  • Permitir
  • Reservar
  • Respirar

Para ficar ainda mais claro, observe como o verbo hablar (falar) é conjugado no presente do indicativo e o radical não muda:

  • Yo hablo
  • Tú hablas
  • Usted habla
  • Él/ella habla
  • Nosotros/nosotras hablamos
  • Vosotros/Vosotras hablan
  • Ellos/ellas hablan

Por sua vez, os verbos irregulares são aqueles que não seguem um modelo de conjugação de acordo com o tempo e modo verbal. Além disso, sofrem alteração tanto na sua desinência quanto no seu radical.

Assim como no português, essas são as características que os diferenciam dos verbos regulares. Alguns dos verbos irregulares no espanhol são:

  • Acertar
  • Agorar
  • Contar
  • Dar
  • Empezar
  • Estar
  • Llegar
  • Realizar
  • Trocar

Quer um exemplo para entender melhor? Então confira o verbo jugar (jogar/brincar) conjugado no presente do indicativo:

  • Yo juego
  • Tú juegas/jugás
  • Usted juega
  • Él/ella juega
  • Nosotros/nosotras jugamos
  • Vosotros/vosotras jugáis
  • Ustedes juegan
  • Ellos/ellas juegan

Tempos verbais e exemplos de conjugação

Os tempos verbais são responsáveis por indicar o momento em que a ação é realizada: se é no presente, no pretérito (passado) ou no futuro. No espanhol, são classificados em simples — com apenas uma forma verbal — e compuestos (compostos), com duas formas verbais.

Já o modo dos verbos significa a maneira de enunciar a ação, ou qualquer expressão, atribuída a eles. Algumas gramáticas consideram o condicional ora como modo, ora como tempo e, por isso, é indicado estudá-los juntos.

O primeiro modo verbal em espanhol é o indicativo, que expressa ações concretas e reais, como na frase:

  • Vivo em la Avenida General Paz (Vivo na Avenida General Paz).

O modo subjuntivo, que também é conhecido como modo das possibilidades, pode expressar dúvida, suposição ou desejo — ou seja, ações que não são reais ou concretas.

Ele é bastante utilizado em orações subordinadas, como na frase:

  • Si yo me hubiera despertado temprano, habría llegado en el horario (Se eu tivesse acordado cedo, teria chegado no horário).

Por fim, o modo imperativo expressa conselho, desejo ou ordem. Esse modo tem uma particularidade: não apresenta tempo. Veja um exemplo:

  • No digas nada (Não diga nada).

De volta aos tempos verbais, como exemplo, vamos usar o verbo hablar (falar) conjugado na 1ª pessoa do singular “Yo”. Aqui, é importante frisar que o modo imperativo não entra no paradigma de tempo porque não o expressa em si mesmo.

Tempos simples

Recapitulando, os tempos simples são aqueles formados somente pelo verbo principal. No modo indicativo, ele pode ser conjugado das seguintes maneiras:

  • Presente: hablo (falo);
  • Pretérito imperfecto: hablaba (falava);
  • Pretérito perfeito simple o indefinido: hablé (falei);
  • Condicional simple: hablaría (falaria).

Já no modo subjuntivo, a conjugação aparece no:

  • Presente: hable (fale);
  • Pretérito imperfecto: hablara/hablase (falasse);
  • Futuro simple: hablare (falar).

Tempos compostos

Como dito anteriormente, os tempos compostos são formados pelo verbo auxiliar haber (haver) — conjugado no tempo em questão — junto com o particípio do verbo principal. No modo indicativo, é possível conjugá-lo no:

  • Pretérito perfecto compuesto: he hablado (falei);
  • Pretérito anterior: hube hablado (falei/tinha falado);
  • Pretérito pluscuamperfecto: había hablado (tinha falado/falara);
  • Futuro compuesto: habré hablado (terei falado);
  • Condicional simple compuesto: habría hablado (teria falado).

No modo subjuntivo, as conjugações aparecem no:

  • Pretérito perfecto compuesto: haya hablado (tenha falado);
  • Pretérito pluscuamperfecto: hubiese/hubiera hablado (tivesse falado);
  • Futuro compuesto: hubiere hablado.

Aqui, vale frisar que o pretérito anterior indica um passado que aconteceu anteriormente a outro passado e é mais comum no contexto literário. Já o futuro composto do modo subjuntivo não é tão comum no espanhol.

Geralmente ele é adotado apenas em expressões idiomáticas ou em um contexto jurídico. Por esse motivo, é até um pouco difícil traduzir literalmente para o português.

>>> Espanhol europeu e latino: quais são as principais diferenças?


A conjugação verbal em espanhol não é tão difícil quanto parece, não é mesmo?

A princípio, pode até parecer que é muito diferente do português e que por isso será muito mais difícil entender e memorizar tudo, mas com bastante estudo se torna cada vez mais fácil.

Este resumo sobre a conjugação verbal em espanhol foi útil para seus estudos? Acompanhe o Blog do EAD UCPel para se preparar para o Enem!